O estado emocional pode influenciar definitivamente nossas vidas, atitudes e relacionamentos e, muitas vezes, nem nos damos conta desse fato. A depressão é assim, influencia nosso comportamento e atinge também as pessoas que nos cercam. É necessário um olhar mais atento para decifrar os sintomas e reconhecer a depressão. E quando percebida, a consulta com um médico psiquiatra é fundamental.

O filme Melancolia e a depressão

 Um bom exemplo de como a depressão tem influência naquilo que as pessoas que sofrem deste mal realizam é o filme Melancolia, do cineasta Lars Von Trier, lançado nos cinemas em 2011. O cineasta se inspirou em um período de profunda depressão que ele mesmo sofreu e também na observação de que pessoas depressivas permanecem apáticas mesmo diante de situações limite.

Melancolia faz parte da chamada “Trilogia da Depressão”, da qual fazem parte, ainda, os filmes Anticristo e Ninfomaníaca. Todos tiveram boa aceitação pelo público e crítica, sendo que Melancolia recebeu o prêmio de melhor atriz para Kirsten Dunst, no Festival de Cannes.

O filme é focado em revelar duas catástrofes, uma familiar,outra natural. Dividido em dois capítulos, a primeira parte é chamada Justine e a segunda Claire, referindo-se às duas irmãs, cujos papéis são executados por Kirsten Dunst e Charlotte Gainsbourg.

A primeira parte traz o casamento de Justine e a segunda mostra a maneira como a família de Claire age diante do fato de que um planeta chamado Melancolia entra em rota de colisão com a Terra.

Mesmo parecendo dois filmes distintos, as duas partes têm uma ligação bastante interessante, na qual se pode perceber a visão pessimista que o cineasta tem da sociedade. O mote da colisão do planeta Melancolia com a Terra procura mostrar a situação de catástrofe mesmo antes de o fenômeno acontecer. Lars Von Trier já deu entrevistas falando que o filme representa um episódio depressivo grave que teve e que quase interrompeu sua carreira.

Além do filme, o livro Demônio do Meio Dia também é obrigatório para quem quer saber mais sobre a depressão já que o autor, o médico Andrew Solomon, tem a doença.

Depressão: Sintomas  

A depressão é uma doença psiquiátrica de etiologia multifatorial. Mesmo atrapalhando a qualidade de vida, a depressão pode passar despercebida por anos, ao ser confundida com episódios de tristeza ou de melancolia.

A falta de reconhecimento e de tratamento da depressão podem desencadear outras doenças. O primeiro passo para tratar a doença é reconhecer os sintomas, que podem variar de pessoa para pessoa.

  • Sintomas depressivos que perduram por mais de duas semanas;
  • Baixa autoestima;
  • Ansiedade e inquietude;
  • Sono, muito cansaço e indisposição;
  • Perda de apetite;
  • Perda de interesse por atividades que gostava de realizar;
  • Problemas digestivos;
  • Alteração de peso;
  • Tensão muscular;
  • Pensamentos suicidas.

Ao se deparar com algum destes sintomas, a ajuda de um psiquiatra é imprescindível.

Depressão: Tratamento com psiquiatra

Assim como os sintomas são diferentes para cada pessoa, o tratamento da depressão também pode variar. Por isso, a necessidade de uma avaliação física e psicológica para adequar o melhor tratamento para cada caso.

Em casos de depressão leve, tanto a abordagem psicoterápica quanto a abordagem medicamentosa têm a mesma eficácia na melhora dos sintomas. Já em casos de depressões moderadas a graves, a indicação é de tratamento combinado.

O psiquiatra é o profissional mais indicado para dar um diagnóstico e tratar da depressão. É ele que orienta se, além da terapia, é necessária a prescrição de medicamentos que irão auxiliar no processo de cura.

Assistiu ao filme Melancolia? Comente sua percepção e caso você conheça alguém com sintomas de depressão, oriente sobre a necessidade de consultar um psiquiatra!

Deixe uma resposta

Fechar Menu